04/03/2015

Eleanor & Park - Rainbow Rowell



Antes de ler Eleanor & Park eu já estava apaixonada pelo livro. O queridinho que após sua publicação em 2013, passou 12 semanas na lista de Best sellers do New York Times.

Foi amor à primeira vista. Eleanor & Park me conquistou com aquela capa tão singela, mas ainda assim capaz de expressar toda a essência do livro.

A história se passa em Omaha, Nebraska no ano de 1986 e os personagens principais são dois jovens totalmente diferentes, mas que conseguem driblar todas essas diferenças e viver um grande amor.

Park é um garoto mestiço de dezesseis anos, meio magrelo porém definido, filho de mãe coreana e pai americano. Filho mais velho, tem apenas um irmão, que apesar de mais novo, é bem mais alto que ele. Tem uma casa linda, com tudo do bom e do melhor e pais que se amam. Se acha um garoto comum, apesar de ter a pele “dourada”, olhos verdes e cabelos negros. Pratica tae-kwon-do e adora Punk Rock e Revistas em Quadrinhos. Park não é um garoto popular no colégio, mas também não faz parte da turminha dos nerds ou dos meninos invisíveis, porém, ainda assim é vítima de bullying por parte dos bam-bam-bans do colégio ninguém escapa.


Eleanor é uma garota de dezesseis anos nada convencional. Ruiva, cabelos encaracolados (logo me lembrou a Merida – Valente), pele muito branca cheia de sardas e eu diria um pouco soft. Apesar de todos a descreverem como gorda, eu a imagino uma menina grande, ossos largos, essas coisas. Se veste de forma estranha com roupas largas muito largas e cheia de penduricalhos e frufrus. Eleanor também adora música, mas não tem onde ouvir. É a filha mais velha de uma família de cinco filhos. Sofre com o padrasto alcoólatra que a odeia e com a submissão da mãe. Sua casa não poderia ser pior, o banheiro não tem porta e ela não tem dinheiro nem para comprar uma escova de dentes.
 
O destino encarrega-se de promover o encontro dos dois em um dia de aula (o primeiro de Eleanor – já que ela é a novata), a caminho do colégio, no ônibus escolar. Sabe aquela coisa de cada qual com seu lugar? Logo que Eleanor entra no ônibus, impossível não notá-la (pela descrição acima vocês podem ter uma ideia), uns fazem cara de paisagem, outros colocam a mochila no lugar vago e lá vai ela direto para a o fundão.

A fim de evitar que uma tragédia aconteça, já que é lá no fundão que os Bad Boys and Girls do colégio ficam, Park cede o lugar vago ao lado dele a Eleanor, porém de uma forma não muito educada, o que faz com que ela não tenha uma primeira boa impressão a respeito dele.

É aí que tudo acontece. Entre o silêncio mortal das primeiras viagens, a leitura roubada de HQs, divisão de músicas no “walkman” o amor entre os dois começa a brotar. São coisinhas bobas, porém, tão “primeiro-amor” que fica impossível não se emocionar.

O livro segue em uma sequência de capítulos irregulares, alternando entre a perspectiva de Eleanor e Park. O que torna a leitura bem agradável e curiosa, já que fica difícil parar de ler. É meio que viciante.

Mas o livro não é só romance não. Tem conflitos familiares leves (Park) até os mais pesados (Eleanor), bullying, drogas e algumas surpresas entre os personagens.

O final é surpreendente. Eu gostei, pois acredito que consegui captar o que a autora quis transmitir algo que, apesar de super claro, nem todo mundo entendeu. É um livro ótimo, recomendadíssimo!!!!!

Quem não leu ainda, corre, pois o livro vai virar filme. A DreamWorks (não poderia ser mais perfeita) adquiriu os direitos sobre Eleanor & Park e vai transformá-lo em filme. Ano que vem começam as gravações. E o mais legal é que quem ficará encarregada de elaborar os roteiros será a própria Rainbow Rowell.

Livro: Eleanor & Park
Autor: Rainbow Rowell
Páginas: 336
Editora: Novo Século

Sinopse:
Eleanor & Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos.

Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola.

Eleanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e “grande” (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família.

Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de uma certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen.

E nem a tiração de sarro dos amigos e a desaprovação da família impede que Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths.

Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo.

Kisses da Mony!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout exclusivo do blog - Monykisses | Feito por: Alice Grunewald | Tecnologia do Blogger | Cópia total ou parcial é proíbida ©